Projetos de Pesquisa

 
Em andamento:
 
Linha 1 - Práticas comunicacionais e tempo social
___________________________________________________________________________________________________________
 
Mapeamento da pesquisa em comunicação sobre entrevista
Profa. Dra. Agnes Francine de Carvalho Mariano
 
O presente projeto busca caracterizar o modo como a entrevista vem sendo estudada na pesquisa científica brasileira recente no campo da comunicação. A expressão “entrevista” está sendo usada para definir a interação oral face a face, baseada no par dialógico pergunta-resposta, utilizada por jornalistas e outros profissionais da comunicação como uma das principais formas de coleta de dados para a elaboração de notícias, reportagens e documentários. A investigação observará especialmente a produção científica dos últimos 10 anos veiculada em anais dos principais congressos. Também serão consultados livros, artigos em revistas científicas, dissertações, teses. Os pontos a serem observados são: tipologias e conceituações; procedimentos e técnicas; problematizações (aspectos abordados e silenciados) e aportes teórico-disciplinares. Uma pesquisa exploratória inicial indica que, a despeito da grande relevância da entrevista, que afeta todas as etapas da produção do texto jornalístico, a bibliografia sobre o tema é modesta. Ou seja, a entrevista vem sendo estudada de forma marginal, esporádica e fragmentada. O que poderia significar, no campo da comunicação, a manutenção de uma abordagem superficial das dimensões psico-afetivas e éticas relacionadas a qualquer entrevista, que certamente repercutem também no ensino, na prática da entrevista e talvez até no modo como pesquisadores, com formação em comunicação, entendem e praticam a entrevista. Ao mesmo tempo, o projeto pretende identificar quais são os avanços na pesquisa sobre o tema e em que direção eles apontam, especialmente em termos de diálogos inter e transdisciplinares.
 
Bêbado trajando luto: potencialidades estéticas e tensionamentos midiáticos da contracultura na música popular brasileira dos anos 1970
Prof. Dr. Claudio Rodrigues Coração
 

Pretendemos, com este projeto, identificar experiências da cultura midiática atravessadas pela articulação de manifestações estéticas da contracultura, mais especificamente o contexto da produção musical brasileira popular dos anos 1970. Acreditamos que as potencialidades estéticas e midiáticas podem nos fornecer elementos acerca das representações das obras de artistas, vinculados, cada um ao seu modo, ao movimento contracultural dos anos 1970 (no embate entre tropicalistas e pós-tropicalistas). Assim, para tratarmos da experiência estética no campo da comunicação, a aproximação conceitual sobre a contracultura parece ser decisiva para percebermos questões categóricas mais alargadas como: temporalidades da ruptura, da utopia e da resistência. Por isso, o eco do que chamaremos de gesto contracultural (nos termos de DIDI-HUBERMAN, 2017) será observado, identificado e analisado no trânsito entre música popular brasileira (os impasses da produção pós-tropicalista dos anos 1970, em seus mais variados gêneros) e as tematizações sociais e culturais, por meio do entendimento da concepção de cena musical e música popular massiva (JANOTTI JUNIOR; FREIRE FILHO, 2006). Nossos objetos de análise serão os álbuns: Fa-tal – Gal a Todo Vapor (1971), de Gal Costa; Jards Macalé (1972), de Jards Macalé; Cinema Transcendental (1979), de Caetano Veloso; Linha de Passe (1979), de João Bosco.

 
Midiatização, celebridades e legitimidade cultural: os processos contemporâneos de construção do valor 
Profa. Dra. Denise Figueiredo Barros do Prado
 
Este projeto propõe refletir sobre como se desenvolvem os processos de valorização das práticas culturais no contexto de celebrização e midiatização do campo da cultura. Para isso, problematiza os processos contemporâneos de legitimação cultural, a emergência das celebridades e as transformações das modalidades interacionais na sociedade midiatizada. Metodologicamente, sugere-se articular as discussões teórico-analíticas associadas aos conceitos de midiatização, cultura e celebridades, a uma reflexão empírica da trajetória midiática de algumas figuras públicas (Anitta, Emicida e Marilia Mendonça), a fim de observar as transformações culturais emergentes. Para operacionalizar o estudo destas trajetórias midiáticas, deve-se desenvolver três eixos analíticos: contextual, interacional e formal/discursivo. A hipótese central deste trabalho é se vive uma mudança na construção do valor cultural devido a uma transformação significativa nas formas de interação social, marcadas pela midiatização, que afeta os processos de constituição do valor cultural. A constituição do valor cultural envolveria, entre outros elementos, a emergência e o fortalecimento de figuras públicas capazes de capitalizar sua visibilidade em prol de políticas de valorização e legitimação cultural. 
 

Identidades colecionáveis: lógicas de arquivo na confecção e atualização jornalísticas de uma dupla memória editorial

Prof. Dr. Frederico de Mello Brandão Tavares
 
Esta proposta de pesquisa tem por interesse pensar sobre como o tempo social contemporâneo remete também ao tempo “biográfico” de produtos impressos e suas relações com um público, uma duração entre o “eu” e o “outro”, entre fatos de vida e fatos históricos, entre memória e ficção, como nos coloca Arfuch (2010). No “espaço biográfico”, como propõe a autora, estão reunidas diversas memórias – individuais e coletivas – narradas (em diferentes manifestações – na literatura ou em outras áreas), nas quais estão presentes traços de textos ou discursos variados; daí a existência de uma intertextualidade ou interdiscursividade neste espaço. A “transposição” dessa lógica, em diálogo com a criação de documentos “históricos” propostos pelas revistas (edições especiais de periódicos), associa a perspectiva de uma escrita biográfica (em curso) a outros contornos e montagens narrativas, que operam com um conjunto de saberes arquivísticos, jornalísticos entre outros. E os reúne a fim de construir um objeto colecionável. Objeto este que revela uma identidade editorial e ao mesmo tempo uma dupla memória: do próprio periódico e daquilo que ele propõe como memorável. A proposta principal da investigação busca compreender a composição e atualização de identidades editoriais jornalísticas a partir do estudo de lógicas de arquivo e memória presentes em edições especiais de revistas impressas. O objetivo central pretende buscar uma historicidade da editoração que acompanha produtos jornalísticos impressos e suas respectivas identidades editoriais.
 

Espaços de resistência: política, juventude e enquadramentos midiáticos em tempos de balbúrdia
Profa. Dra. Hila Bernadete Silva Rodrigues

Da mesma forma como as narrativas jornalísticas professam seus conteúdos, seja no papel ou nas telas, os pensamentos e dizeres dos segmentos juvenis estão expressos em muros, pichados, escritos em cartazes, rompidos na garganta e, indubitavelmente, postados no Facebook e no Twitter. Estão lá todos os vocábulos, grávidos de sentido, de urgências, sonhos e anseios difusos. É assim, desta forma, que as juventudes (no plural mesmo, para denotar a diversidade, multiplicidade e complexidade dessa parcela da população) conformam um discurso singular. Mas de que discurso está-se a falar, afinal? Na perspectiva aqui proposta, esse discurso aproxima-se da concepção de Ricoeur (1989), para quem a fala é, concretamente, o lugar onde todo acontecimento ganha sentido. Estudiosos como Fernando Resende (2009; 2018) examinam, sob esse prisma, a possibilidade de se vislumbrar o ato da fala não apenas como uma ação em si – mas a ação movida por intencionalidades. Nesse sentido, o discurso que os segmentos juvenis inauguram (ou reinauguram) nessas ocupações – e, recentemente, nas manifestações em defesa das universidades, no outono de 2019 – emergem sob o signo da resistência, uma vez que ele não se constitui apenas do sentido da contestação, mas, antes, da intenção de fazer diferença, de emergir como elemento desafiador de outros – e antigos – discursos. A apreensão e compreensão, de um lado, dos elementos políticos presentes no discurso do governo brasileiro ancorado na ideia da balbúrdia – que contribuiu para desencadear as manifestações do outono de 2019 – e, de outro, do processo de ressignificação desse termo na fala do segmento estudantil reverberado pela grande imprensa (a partir da cobertura política dos protestos em defesa da educação nas plataformas impressa e online), é o principal objetivo desta pesquisa.

Quem é essa menina? Afetos, imagens, representações e imaginários da infância feminina
Profa. Dra. KarinaGomes Barbosa

Pensar as meninas na Comunicação Social requer um imbricamento entre gênero e infância. No que diz respeito à infância, grande parte das pesquisas no campo da  Comunicação se volta para questões de políticas de comunicação, como para os debates em torno do sistema de classificação indicativa e da proteção aos direitos da criança e do adolescente em relação aos sistemas de mídia. Também há uma série de pesquisas do campo da Comunicação que tratam de produtos da cultura de massa voltados à infância. O fato é que ainda há lacunas para se pensar a infância engendrada no âmbito das práticas comunicacionais contemporâneas. É nessa interseção que esta pesquisa se insere, buscando pensar as maneiras pelas quais a cultura de massa, especificamente os produtos comunicacionais da cultura de massa, atua na construção e circulação de afetos, imagens, representações e imaginários da ideia de menina – e quem é essa menina. Esta é a questão central que move esta pesquisa, questão que suscita outras, tais como: que meninas são representadas e imaginadas pela cultura de massa?; o que essas representações excluem e no que insistem, o que reiteram – e como essas imagens circulam afetos?; como as articulações raça-gênero- classe-etnia se apresentam nesses discursos e imaginários?; quais as relações entre tais afetos e imaginários e o consumo?; como as questões de idade e juventude atuam nessas configurações?
 

Livros de perfis jornalísticos: análise das angulações, gêneros e temporalidades
Profa. Dra. Marta Regina Maia

Este projeto tem por objetivo traçar um diagnóstico das produções de perfis jornalísticos, tendo como corpus de pesquisa os livros produzidos no Brasil com essa finalidade, seja em forma de compilação ou produzido especialmente para esse fim. Retoma, assim, parte de projeto de pesquisa já realizado entre 2012 e 2014 (com bolsistas PIBIC/CNPq e PIP/UFOP), bem como do estágio de pós-doutoramento (já finalizado) da proponente, e, ainda pesquisa realizada, entre 2017-2018, com três bolsistas (PIBIC/CNPq, PIP/UFOP e PROBIC/Fapemig), além de outra, em andamento, com dois bolsistas (PIP e PIBIC) no sentido de atualizar os resultados obtidos por intermédio de nova coleta de informações e propor uma nova proposta metodológica de sistematização dos dados. A partir desse mapeamento, pretende identificar os principais gêneros utilizados, classificar as angulações dos perfis produzidos (tanto de pessoas célebres como de pessoas comuns) e as temporalidades configuradas nas produções. Para isso, utiliza a seguinte definição de perfil (criação autoral da proponente): composição textual discursiva do sujeito a partir de determinadas angulações que traduzem as perspectivas adotadas na escolha do perfilado, na captação e na edição.

 

Docentes Linha 2 - Interações e emergências da comunicação

___________________________________________________________________________________________________________
 
A ditadura apropriada: anacronismos e ressignificações de fotografias assimiladas em obras de arte contemporâneas que tematizam os regimes militares latino-americanos
Profa. Dra. Ana Carolina Lima Santos
 
Nos últimos anos, artistas latino-americanos têm recorrido à estratégia de apropriação de fotografias do universo afetivo, documental ou jornalístico para materializar memórias dos regimes militares ditatoriais levados a cabo em seus países. À revelação das histórias de opressão, tortura e assassinatos, empreendida sobretudo pelas Comissões Nacionais da Verdade, essas obras adicionam uma dimensão sensível, pelo entrecruzamento de temporalidades heterogêneas que revisitam à luz do presente dimensões testemunhais de outrora. Esta pesquisa se propõe a investigar alguns desses trabalhos, de modo a apreender as especificidades mnemônicas, testemunhais e poéticas neles instauradas; observando, em especial, os anacronismos e ressignificações envolvidos.
 
Métodos digitais aplicados ao rádio: uma proposta de adaptação e inovação
Profa. Dra. Débora Cristina Lopez
 

As metodologias de pesquisa em rádio têm avançado nos últimos anos e se deparado com o desafio de compreender o meio em processo de mutação. Influenciado e ambientado na nova ecologia de mídia, o rádio tem visto sua natureza se alterar e os pesquisadores cumprem o desafio de compreender essas mudanças, de desenhar métodos que contemplem a (re)caracterização do fenômeno comunicacional e de repensar suas práticas investigativas. Pensando nesta demanda, o presente projeto busca uma interface entre os estudos de rádio e os métodos digitais – perspectiva teórico-metodológica que busca olhar para objetos de natureza digital, buscando compreender e discutir seus elementos constitutivos e desafios.

 
Quais vidas realmente importame em Westeros? Gêneros e Sexualidades em As Crônicas de Gelo e Fogo e em Game of Thrones
Prof. Dr. Felipe Viero Kolinski Machado

A questão mobilizadora desta pesquisa consiste em perceber, tendo em vista a trajetória de quatro protagonistas femininas de As Crônicas de Gelo e Fogo (cinco volumes lançados até então) e de Game of Thrones (oito temporadas), observadas partir de referenciais teóricos e políticos dos estudos de gênero e de sexualidade, quais vidas, em uma lógica heteronormativa (WARNER, 1991), podem ou não importar (BUTLER, 1993) no contexto da trama. O objetivo central desta investigação, por conseguinte, consiste em perceber neste fenômeno literário/audiovisual, de que modo, no escopo da saga, se dá a representação destas mulheres, tendo em vista questões de gênero e de sexualidade, e o que isso indica sobre a validade destas e de outras vidas em um contexto heteronormativo e patriarcal. Os objetivos específicos, então, incluem: realizar uma revisão bibliográfica acerca do objeto (ampliando o estado da arte, apresentado na segunda seção deste projeto), dos estudos de gênero/feministas e de sexualidade/teoria queer, da cultura pop e das noções de narrativa e de discurso; contribuir para o estudos da comunicação que se voltam à cultura pop/ questões de gênero e de sexualidade; empreender uma análise crítica cultural (KELLNER, 2001) a partir dos estudos de gênero/sexualidade; realizar um exercício metodológico, a partir de procedimentos complexos e abrangentes, tendo como inspiração o circuito da cultura (JOHNSON, 1999); empreender grupos focais (com discentes da Universidade Federal de Ouro Preto) a fim de observar como, neste cenário, se compreendem tais discussões políticas e representações.
 
 
Análise do discurso mediado e multimodal: aprimorando a literacia crítica para acontecimentos discursivos em ambientes de mídia (social) digital
Profa. Dra. Jan Alyne Barbosa e Silva
 
Os desafios para as Humanidades Digitais, e especificamente para as pesquisas, dos quais este projeto busca se aproximar, incluem: I) o desenvolvimento de competências e métodos destinados a aprimorar a análise de fenômenos comunicativos e acontecimentos discursivos em ambientes de mídia (social) digital sob as perspectivas crítica, multimodal e multidisciplinar, II) percepção de temporalidades sobre acontecimentos discursivos difusos, pervasivos e de interesse público, e III) organização e colaboração multidisciplinar, a fim de disseminar multiliteracias para as humanidades digitais. Esta proposta de pesquisa está ancorada em uma perspectiva sócio-semiótica, visando a desenvolver e aprimorar “ferramentas precisas para compreender a inter-relação de recursos de representação e formas de conhecimento” (KRESS, 2010), tendo em vista a constituição de nexos de práticas, com vistas à coerência e à literacia crítica, no que se refere à leitura, ao design, e à curadoria de objetos de mídias sociais e ambientes de mídia (social) digital.
 
Gastronomia e Identidade Mineira nas redes sociais: em busca representação contemporânea de Minas Gerais por meio de seus pratos
Prof. Dr. Marcelo Freire Pereira de Souza
 
O projeto “Gastronomia e Identidade Mineira nas redes sociais: em busca representação contemporânea de Minas Gerais por meio de seus pratos”, que busca entender a partir coleta de dados em múltiplas redes sociais como a culinária mineira se insere em um contexto nacional e como ela se representa neste ambiente. Observar quais pratos, processos e ingredientes identificam o estado e seus moradores pode indicar importantes traços de identidade do mineiro, além de apontar desdobramentos no campo do turismo e de negócios. A ideia do projeto é conjugar duas vertentes contemporâneas nos estudos dos meios digitais a de Humanidades Digitais (Berry, 2012; Evens e Röhle 2017; Lievrow, 2014) e Sociologia Digital (Marres, 2017) para a compreensão da relação entre cultura e gastronomia. Mais especificamente rastros da representação do mineiros deixadas em redes sociais.
 
Conhecer o ouvinte-internauta: Um estudo sobre o perfil da audiência de rádio no cenário de convergência
Profa. Dra. Nair Prata Moreira Martins
 
O presente projeto de pesquisa pretende estudar uma lacuna no campo do rádio e convergência: a necessidade de conhecer a audiência. Pretendemos, através de um estudo trienal, realizar uma análise de perfil e preferências do usuário jovem de rádio online. Para isso, desenvolveremos uma pesquisa de usabilidade para a percepção das práticas de consumo de rádio por este público. A metodologia organiza-se em etapas, considerando o que Triviños apresenta como triangulação. A revisão de literatura está presente em todo o percurso do estudo e concentrará a abordagem metodológica no primeiro ano. A primeira fase será de delimitação e afinamento dos procedimentos metodológicos. Para desenvolver a pesquisa, iremos nos apoiar nos conceitos de usabilidade e affordance propostos por Jakob Nielsen, Hoa Loranger, Donald Norman e Steve Krug em seus estudos de aplicados prioritariamente a textos escritos em websites. Neste primeiro momento, a metodologia dos autores será adaptada ao conteúdo sonoro e às narrativas complexas, multimídia e multiplataforma. Serão construídas ferramentas de análise que permitam lançar um olhar cruzado e reflexivo sobre os resultados das etapas do estudo. Ainda neste momento serão afinadas as diretrizes que definirão a composição do corpus do estudo.