Projetos de Pesquisa

 
Em andamento:
 
Linha 1 - Práticas comunicacionais e tempo social
___________________________________________________________________________________________________________
 
Mapeamento da pesquisa em comunicação sobre entrevista
Profa. Dra. Agnes Francine de Carvalho Mariano
 
O presente projeto busca caracterizar o modo como a entrevista vem sendo estudada na pesquisa científica brasileira recente no campo da comunicação. A expressão “entrevista” está sendo usada para definir a interação oral face a face, baseada no par dialógico pergunta-resposta, utilizada por jornalistas e outros profissionais da comunicação como uma das principais formas de coleta de dados para a elaboração de notícias, reportagens e documentários. A investigação observará especialmente a produção científica dos últimos 10 anos veiculada em anais dos principais congressos. Também serão consultados livros, artigos em revistas científicas, dissertações, teses. Os pontos a serem observados são: tipologias e conceituações; procedimentos e técnicas; problematizações (aspectos abordados e silenciados) e aportes teórico-disciplinares. Uma pesquisa exploratória inicial indica que, a despeito da grande relevância da entrevista, que afeta todas as etapas da produção do texto jornalístico, a bibliografia sobre o tema é modesta. Ou seja, a entrevista vem sendo estudada de forma marginal, esporádica e fragmentada. O que poderia significar, no campo da comunicação, a manutenção de uma abordagem superficial das dimensões psico-afetivas e éticas relacionadas a qualquer entrevista, que certamente repercutem também no ensino, na prática da entrevista e talvez até no modo como pesquisadores, com formação em comunicação, entendem e praticam a entrevista. Ao mesmo tempo, o projeto pretende identificar quais são os avanços na pesquisa sobre o tema e em que direção eles apontam, especialmente em termos de diálogos inter e transdisciplinares.
 
Estética da comunicação e música popular: a cultura e o tempo em Alucinação, de Belchior
Prof. Dr. Claudio Rodrigues Coração
 
Pretendemos, com este projeto, relacionar aspectos da comunicação midiática com os propósitos estéticos presentes no álbum Alucinação(1976), do músico e compositor Belchior. Ao tratar dessa vinculação, é fundamental localizar as dinâmicas do tempo social e da cultura (cf. BHABHA, 1998), nas representações do álbum, e como tais representações são reveladoras de um debate sobre a cultura pop midiática. Nosso projeto propõe, portanto, a articulação teórico-epistemológica entre a comunicação e os sentidos de “consciência do ser no tempo”. Se estamos propondo um debate de entrosamento entre música popular e comunicação, as abordagens analíticas podem ser identificadas pela apropriação cultural e pela estetização midiática. Nesse sentido, é prudente avaliarmos as intervenções estéticas e temáticas de Alucinação como elementos de verificação de trânsitos textuais, teóricos e conteudísticos. Para isso, utilizaremos um método que prevê a interconexão teórica da comunicação com os conceitos de cultura e temporalidade.
 
Midiatização e celebridades: as práticas culturais na contemporaneidade
Profa. Dra. Denise Figueiredo Barros do Prado
 
Esta proposta de pesquisa nasce com o intuito de subsidiar a elaboração do projeto para a pesquisa de Pós-Doutoramento entre 2019/2020, cujo tema é a emergência de uma nova economia do valor cultural. Ainda estamos em fase de seleção do recorte empírico deste projeto futuro, embora haja indicativos de que no pós-doutoramento vamos trabalhar com os seguintes artistas: Emicida (rap), Anitta (funk), Marília Mendonça (sertanejo). Tais gêneros musicais foram selecionados, bem como seus artistas, porque embora sejam formas musicais que ganham relativa expressão no quadro social pelos acessos e consumos culturais, quando se trata de apreciação cultural e valorização cultural, elas ainda figuram como práticas inferiorizadas e socialmente desvalorizadas. Problematiza-se como o valor cultural, embora tensionado pelas questões econômicas, não se resume a elas, demandando uma análise política do campo cultural para compreender as disputas que envolvem a construção da valorização cultural. 
 
Reconhecimento do tempo e identidades editoriais nas revistas TRIP e TPM
Prof. Dr. Frederico de Mello Brandão Tavares
 
Esta proposta de pesquisa é uma continuação do projeto “Celebrações editoriais em TRIP e TPM: reconhecimento do tempo e afirmações identitárias”, em execução desde agosto de 2017 junto ao Departamento de Jornalismo e ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFOP. As revistas TRIP e TPM, ambas publicadas pela TRIP Editora, ao longo de mais três décadas no mercado editorial brasileiro, têm como uma de suas estratégias de afirmação identitária, a celebração de seus preceitos editoriais. Em mais de 30 anos, no caso de TRIP, e de 15 anos, no caso de TPM, as publicações lançaram edições comemorativas que ora corresponderam a “aniversários” de ambas as revistas, ora apontaram para números especiais, como, por exemplo, a centésima edição. Nesse contexto, articularam questões referentes à uma memória própria e também coletiva, fazendo emergir tanto ideias sobre passado, presente e futuro, como eixos biográficos e sociais, quanto contradições sobre suas visões de mundo e princípios de cobertura sobre temas e acontecimentos específicos. Diante desse contexto, o projeto busca seguir com a análise das edições comemorativas de TRIP e TPM, observando relações existentes entre ações de autorreferencialidade midiática e lógicas próprias de celebração editorial em dois meios de comunicação consolidados no mercado de revistas brasileiras. Na primeira fase da pesquisa, as análises levaram à: 1) percepção acerca da memória como tema transversal das pautas da publicação, 2) a representação do passado e futuro como eixos temporais para os quais se volta a revista e 3) a manifestação do presente a partir de campos temáticos que nomeiam a contemporaneidade como temporalidade difusa e controversa, da qual as publicações fazem parte e ao mesmo tempo sobre a qual as revistas tentam elaborar uma visada jornalística crítica. A partir desse percurso, pretende-se questionar agora sobre uma espécie de pretenso “jornalismo de vanguarda” ou “jornalismo militante” constituído pelas revistas, problematizando as contradições e complexidades reveladas pela identidade editorial explicitada nas publicações, com base num movimento de autoafirmação de seus preceitos e na compreensão do referente tempo como um vetor da duração que elas defendem para suas próprias existências.
 
Quadrinhos e aprendizados sociais: construções narrativas em arte, mídia e política
Profa. Dra. Hila Bernadete Silva Rodrigues
 
Essa pesquisa pretende identificar e discutir, nos campos da prática jornalística ancorada ao Jornalismo em Quadrinhos, as maneiras como a arte sequencial pode configurar novos modos de contemplar e discutir as questões raciais em comunidades locais. O estudo se dará no município de Ouro Preto, por meio de pesquisas documental e etnográfica desenvolvidas a partir do trabalho extensionista Lugares Desenhados: oficina de quadrinhos. O projeto envolve crianças e jovens do município engajados na confecção de narrativas em quadrinhos capazes de contar a história dos lugares em que a população local transita. A ideia é trabalhar elementos do jornalismo em quadrinhos para compreender a maneira como os “narradores” atuam como tradutores de suas experiências na realidade em que se encontram imersos. Nesse percurso, a proposta é discutir também em que medida se dá o tripé arte/cultura e política nesse processo. O jornalismo conta as histórias do mundo – e daqueles que transitam nesse mundo. Faz isso recorrendo a palavras, imagens e sons, mas também o faz pelo traço, em arte sequencial, caso dos os quadrinhos.
 
Políticas de Comunicação: histórias, discursos e propostas
Profa. Dra. Juçara Gorski Brittes
 
Este projeto abrange uma série de estudos, em andamento e iniciantes, desenvolvidos por um grupo de professores do Curso de Comunicação Social/Jornalismo, da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). O fio condutor, como indicado no título, é formado pelas políticas de comunicação, enfocadas em distintas perspectivas: marco regulatório, análise dos discursos midiáticos a respeito do tema em tela, compondo estudo de casos múltiplos. A pesquisa será iniciada no Brasil, mas será estendida para outros países da América Latina.
 
Quem é essa menina? Afetos, imagens, representações e imaginários da infância feminina
Profa. Dra. Karina Gomes Barbosa
 
Pensar as meninas na Comunicação Social requer um imbricamento entre gênero e infância. No que diz respeito à infância, grande parte das pesquisas no campo da  Comunicação se volta para questões de políticas de comunicação, como para os debates em torno do sistema de classificação indicativa e da proteção aos direitos da criança e do adolescente em relação aos sistemas de mídia. Também há uma série de pesquisas do campo da Comunicação que tratam de produtos da cultura de massa voltados à infância. O fato é que ainda há lacunas para se pensar a infância engendrada no âmbito das práticas comunicacionais contemporâneas. É nessa interseção que esta pesquisa se insere, buscando pensar as maneiras pelas quais a cultura de massa, especificamente os produtos comunicacionais da cultura de massa, atua na construção e circulação de afetos, imagens, representações e imaginários da ideia de menina – e quem é essa menina. Esta é a questão central que move esta pesquisa, questão que suscita outras, tais como: que meninas são representadas e imaginadas pela cultura de massa?; o que essas representações excluem e no que insistem, o que reiteram – e como essas imagens circulam afetos?; como as articulações raça-gênero- classe-etnia se apresentam nesses discursos e imaginários?; quais as relações entre tais afetos e imaginários e o consumo?; como as questões de idade e juventude atuam nessas configurações?
 
Gêneros, angulações e temporalidades na produção de perfis nas revistas Brasileiros e piauí
Profa. Dra. Marta Regina Maia
 
Este projeto tem por objetivo traçar um diagnóstico das produções de perfis, tendo como corpus de pesquisa duas revistas brasileiras: piauí e Brasileiros. Retoma, assim, parte do projeto de pesquisa já realizado entre 2012 e 2014 (com bolsistas PIBIC e PIP), bem como no estágio de pós-doutoramento da proponente, no sentido de atualizar os resultados obtidos por intermédio de nova coleta de informações e propor uma nova proposta metodológica de sistematização dos dados. A partir desse mapeamento, pretende identificar os principais gêneros utilizados, classificar as angulações dos perfis produzidos (tanto de pessoas célebres como de pessoas comuns) e as temporalidades configuradas nas produções. Para isso, utiliza a seguinte definição de perfil: composição textual discursiva do sujeito a partir de determinadas angulações que traduzem as perspectivas adotadas na escolha do perfilado, na captação e na edição. Marcado pela hibridização de áreas fronteiriças entre a comunicação, a história e a literatura, o perfil, como recorte de momentos na vida de uma pessoa, compreende estes discursos também na perspectiva da reportagem e dos gêneros jornalísticos. Ao definir estas duas publicações como corpus da análise tem-se como base refletir sobre um tipo de jornalismo que desconsidera os cânones consagrados da narrativa jornalística convencional.
 
 
Docentes Linha 2 - Interações e emergências da comunicação
___________________________________________________________________________________________________________
 
A ditadura apropriada: anacronismos e ressignificações de fotografias assimiladas em obras de arte contemporâneas que tematizam os regimes militares latino-americanos
Profa. Dra. Ana Carolina Lima Santos
 
Nos últimos anos, artistas latino-americanos têm recorrido à estratégia de apropriação de fotografias do universo afetivo, documental ou jornalístico para materializar memórias dos regimes militares ditatoriais levados a cabo em seus países. À revelação das histórias de opressão, tortura e assassinatos, empreendida sobretudo pelas Comissões Nacionais da Verdade, essas obras adicionam uma dimensão sensível, pelo entrecruzamento de temporalidades heterogêneas que revisitam à luz do presente dimensões testemunhais de outrora. Esta pesquisa se propõe a investigar alguns desses trabalhos, de modo a apreender as especificidades mnemônicas, testemunhais e poéticas neles instauradas; observando, em especial, os anacronismos e ressignificações envolvidos.
 
Conhecer o ouvinte-internauta: Um estudo sobre o perfil da audiência de rádio no cenário de convergência
Profa. Dra. Débora Cristina Lopez
Profa. Dra. Nair Prata Moreira Martins
 
O presente projeto de pesquisa pretende estudar uma lacuna no campo do rádio e convergência: a necessidade de conhecer a audiência. Pretendemos, através de um estudo trienal, realizar uma análise de perfil e preferências do usuário jovem de rádio online. Para isso, desenvolveremos uma pesquisa de usabilidade para a percepção das práticas de consumo de rádio por este público. A metodologia organiza-se em etapas, considerando o que Triviños apresenta como triangulação. A revisão de literatura está presente em todo o percurso do estudo e concentrará a abordagem metodológica no primeiro ano. A primeira fase será de delimitação e afinamento dos procedimentos metodológicos. Para desenvolver a pesquisa, iremos nos apoiar nos conceitos de usabilidade e affordance propostos por Jakob Nielsen, Hoa Loranger, Donald Norman e Steve Krug em seus estudos de aplicados prioritariamente a textos escritos em websites. Neste primeiro momento, a metodologia dos autores será adaptada ao conteúdo sonoro e às narrativas complexas, multimídia e multiplataforma. Serão construídas ferramentas de análise que permitam lançar um olhar cruzado e reflexivo sobre os resultados das etapas do estudo. Ainda neste momento serão afinadas as diretrizes que definirão a composição do corpus do estudo.
 
Mapeamento de controvérsias em ambientes digitais no âmbito de um acontecimento jornalístico brasileiro
Profa. Dra. Jan Alyne Barbosa e Silva
 
O presente projeto de pesquisa buscar implementar e adaptar protocolos de pesquisa utilizando os métodos digitais, com o objetivo de mapear uma controvérsia, no âmbito de um acontecimento jornalístico brasileiro, rastreado em ambientes digitais, que será selecionada ao longo do período de vigência da pesquisa. Objetivos - Aplicar a Cartografia das Controvérsias, método que pode se revelar adequado para descortinar a complexidade de atores (humanos e não humanos) envolvidos num acontecimento jornalístico. - Conhecer técnicas e ferramentas para realizar o mapeamento de controvérsias. - Propor aspectos de inovação no jornalismo, por meio do uso de novas técnicas de coleta, tratamento e análise de redes. - Promover aprendizagem de ferramentas de Análise de Redes, a exemplo do Gephi.
 
Gastronomia e Identidade Mineira nas redes sociais: em busca representação contemporânea de Minas Gerais por meio de seus pratos
Prof. Dr. Marcelo Freire Pereira de Souza
 
O projeto “Gastronomia e Identidade Mineira nas redes sociais: em busca representação contemporânea de Minas Gerais por meio de seus pratos”, que busca entender a partir coleta de dados em múltiplas redes sociais como a culinária mineira se insere em um contexto nacional e como ela se representa neste ambiente. Observar quais pratos, processos e ingredientes identificam o estado e seus moradores pode indicar importantes traços de identidade do mineiro, além de apontar desdobramentos no campo do turismo e de negócios. A ideia do projeto é conjugar duas vertentes contemporâneas nos estudos dos meios digitais a de Humanidades Digitais (Berry, 2012; Evens e Röhle 2017; Lievrow, 2014) e Sociologia Digital (Marres, 2017) para a compreensão da relação entre cultura e gastronomia. Mais especificamente rastros da representação do mineiros deixadas em redes sociais.
 
Enciclopédia verbo-visual de signos imaginários da comunicação
Profa. Dra. Priscila Monteiro Borges
 
Considerando a importância dos sistemas de classificação do conhecimento para consolidar certa ordem ao mundo e pensando como a arbitrariedade definida por uma certa racionalidade é insuficiente para representar a multiplicidade do mundo, propomos a criação de uma enciclopédia visual imaginária da comunicação. A enciclopédia aqui proposta não ignora o conhecimento acumulado pela área da comunicação, mas busca ressignificá-lo a partir de criações imaginárias. Isto é, a enciclopédia como experiência criativa capaz de questionar os alicerces do conhecimento ora estabelecidos e como potência para a imaginar conhecimentos impossíveis. Esse projeto nasce da inquietação gerada pela questão de como reconfigurar o conhecimento sobre a comunicação de modo crítico e criativo considerando as arbitrariedades dos sistemas racionais, o choque da experiência e a espontaneidade das emoções. A criação da enciclopédia visual de signos e verbetes imaginários da comunicação tem como objetivo refletir sobre a construção do conhecimento na área de comunicação, reorganizar esse conhecimento, revelar suas insuficiências, imaginar outros elementos que podem integrar à área da comunicação e propor formas não-convencionais para organizá-lo em uma enciclopédia.